Coisas que um homeschooler deve saber ao começar

challies-titlegraphic-readingclassicstogether_v17a

Se você, assim como eu, deseja começar o homeschooling com seus filhos, precisa se planejar, programar, estudar, pesquisar e se informar… Não, você não precisa de uma graduação em Pedagogia ou Letras, nem de um mestrado ou pós-graduação – fique tranquilo! 😀 . Basta que você entenda o que é a educação domiciliar, como ela difere da escola e comece a se planejar.

Então, se você não começou, ótimo! Poderá aprender com essas dicas. Se você já começou, pode rever algumas coisas, caso necessário – além de contribuir com mais dicas! rs

  1. Existe mais de um jeito de educar em casa

Educação clássica, Charlotte Mason, Unschoolig, Unit Studies …. são tantas as possibilidades para ensinar e aprender. Cada família encontrará para si um jeito que os atenda melhor. Há, inclusive, aquelas que se utilizarão de alguns pontos de vários métodos… um ótimo texto que trata sobre isso é o “Cinco sabores do Homeschooling“, do blog Educação Domiciliar – ensinando no Caminho.

Essa variedade não deve nos assustar, mas nos confortar e ajudar, de forma que temos mais liberdade e independência, sem ficarmos reféns de um estilo só.

      2. Quando você estiver com dúvida, faça leituras em voz alta

Já disse em outro post aqui: se tudo der errado, sente no sofá com as crianças e leia um bom livro! Toda família tem dias ruins, daqueles que parecem que nada vai dar muito certo ou sai do nosso planejamento.

Um bom livro de poesia, ou uma biografia, ou devocional, ou contos infantis, ou de aventura… Sâo inúmeras possiblidades. Então, somente sente descanse e leiam! 😉

      3. O seu aprendizado é tão importante quanto dos seus filhos

Você, como mãe/pai e professor precisará pesquisar bons materiais, bons livros e recursos. Terá que ler, ouvir, e ler mais um pouco. Você não será um doutor em todas as matérias que ensinará a seus filhos, mas é importante você também considerar o seu próprio aprendizado. É essencial investir no seu aprendizado também! E fazendo isso algo agradável, você estará dando o exemplo a seus filhos de como eles devem encarar o processo de aprendizagem.

      4.Vida real é essencial!

Precisamos relembrar uma coisa: homeschooling não é só DENTRO de casa. Muito do que seu filho vai aprender está do lado de fora. Leve-o para parques, pracinhas e museus próximos da sua casa. Conduza-os a investigações e projetos. Deixe-os ver como funcionam as coisas. Ensine-os a calcular o troco, a escolher frutas no mercado e comparar os tamanhos e formas… crianças precisam experimentar a vida real também.

       5. Não tem problema tirar uma folga

É o conselho que sempre ouço de todas as mães rs. Mães não são máquinas, então, se seus filho – ou você mesma! – precisa de uma folguinha, não tem problema. Dê a quem precisa o descanso.

       6. Você não pode fazer isso sozinho

Pode parecer meio óbvio, mas você não pode andar sozinha. Procure amigas e famílias amigas que optaram pelo mesmo estilo de vida que você, procure algum amigo que esteja disposto a ensinar algum ofício ou atividade a seus filhos, busque conselhos…. se for impossível arrumar alguém perto de onde você mora, comece procurando online mesmo! Procurar ajuda, ideias, conselhos, atividades, currículos, projetos de ciências….. o Facebook tem bastante grupo e páginas, há muitos sites – só não se sinta obrigado a acolher tudo que você ler! Filtre, e aplique aquilo que você julga bom para sua família 😉

E você, tem mais conselhos para compartilhar?! 😀

Anúncios

Filosofia educacional subjacente às metodologias adotadas na ED (1)

study

Muito bom pensar sobre a educação domiciliar, receber ideias, pesquisar materiais, procurar grupos de apoio para você não fazer tudo sozinha…. Mas você já procurou conhecer quais são as filosofias educaionais que dão base para as metodologias de ensino?! Não?! Então não deixe de ler essa série, escrita por Renata Santos, do blog Educação Domiciliar – ensinando no Caminho.

Boa leitura! 😉

As metodologias de ensino já são velhas conhecidas para aqueles que praticam educação domiciliar. Nesse post, gostaria de me aprofundar um pouquinho mais sobre quais as filosofias educacionais modernas que sustentam as várias metodologias adotadas pelos que educam em casa (e na escola também). Estou estudando um excelente livro do autor Robert W. Pazmiño, intitulado Temas Fundamentais da Educação Cristã, da Editora Cultura Cristã. Foi publicado primeiramente em 1997 e aqui no Brasil em 2008. O livro aborda a Educação Cristã na escola e na igreja, então o discurso do autor é voltado para as instituições escola e igreja,

O autor destaca as seguintes filosofias educacionais: perenialismo, essencialismo, comportamentismo, progressivismo, reconstrucionismo, naturalismo romântico e existencialismo. Transcrevo quase literalmente uma breve explicação sobre cada uma delas, suas vantagens e desvantagens sob o crivo das Escrituras. Veja se você consegue reconhecer qual é  o seu embasamento filosófico. A partir daí, aprofunde-se no estudo a fim de se aperfeiçoar na prática de seu homeschooling.

PERENIALISMO

Enfatiza o cultivo dos poderes de raciocínio junto com a excelência acadêmica. Afirma o propósito intelectual, espiritual e ético na educação ao guiar o indivíduo às verdades eternas. Os alvos incluem a transmissão e a assimilação de um corpo prescrito de matérias clássicas. Os defensores dessa filosofia incluem Aristóteles, Tomás de Aquino, e mais recentemente , Robert Hutchins, Mortimer Adler, Allan Bloom e Jacques Maritain. O conteúdo desse tipo de educação inclui os grandes livros do mundo ocidental, os clássicos e as artes liberais tradicionais. A mente e a razão são enfatizadas na exposição dos estudantes às grandes obras do passado intelectual ocidental. O currículo é centrado na matéria ou assunto estudado, enfatizando a disciplina mental e análise literária. O professor é um acadêmico, filósofo por excelência, que tem amplo conhecimento de vastas áreas do saber. Correspondendo ao papel do professor, o aluno é visto como ser racional que deverá ser guiado pelos primeiros princípios conforme revelados nos clássicos e nas artes liberais. Os principais ambientes de aprendizado são a sala de aula ou salão de palestras, o lugar de estudo e a biblioteca, onde a herança clássica pode ser compartilhada ou adquirida por meio de um estudo diligente. O perenialismo pode ser elogiado pela sua sensibilidade para com o passado, sua preocupação com a racionalidade e sua ênfase na excelência. Esta filosofia propõe que existe verdade absoluta e que a natureza humana é coerente. O perenialista reconhece os propósitos intelectuais, espirituais e éticos da educação. Pode ser criticado por sua preocupação com o passado e com sua tendência racionalista. Sua uniformidade curricular pode abafar a criatividade e sua abordagem intelectual, dirigida pelo professor, pode não reconhecer o caráter das pessoas e os limites da razão humana.

ESSSENCIALISMO

O educador essencialista enfatiza a excelência acadêmica, o cultivo do intelecto e a transmissão e assimilação de um corpo prescrito de matéria a ser estudada. O discernimento das verdades a partir desta perspectiva é possibilitado pelo uso de cuidadosa observação e da razão. Os principais defensores dessa posição são Arthur Bestor, e Admiral Hyman G. Rickover. Para o essencialismo, o conteúdo da educação inclui as disciplinas acadêmicas fundamentais e a mestria de conhecimentos básicos e avançados. Diferente do perenialismo, o essencialismo considera essencial a ciência moderna e a indagação experimental, além dos estudos clássicos. O essencialismo sinaliza um movimento educativo que volta ao que é básico e acrescenta à dominação desses básicos amplamente definidos para incluir uma variedade de matérias de estudo. O professor modelo é a pessoa de letras e ciências que está sintonizada com o mundo moderno e alcançou o nível de especialista em sua área de competência. O estudante é visto como ser racional que obtém domínio dos fatos e habilidades essenciais que sustentam as disciplinas intelectuais para ajustar-se ao ambiente físico e social.  Como o perenialismo, o essencialismo está centrado principalmente na sala de aula e na biblioteca, mas também enfatiza o laboratório de pesquisa. Os estudantes obtêm acesso à ampla gama de disciplinas acadêmicas por meio de estudo nesses ambientes. O essencialismo pode ser recomendado por sua ênfase no domínio de habilidades básicas de aprendizado e seu reconhecimento da necessidade de trabalho árduo e disciplina no aprendizado. Esta filosofia reconhece também os propósitos intelectuais, espirituais e éticos na educação. Mas diferente do perenialismo, o essencialismo não é totalmente intelectual com maior preocupação pelo ajustamento individual ao ambiente físico e social. Podem ser ressaltadas críticas quanto ao seu direcionamento pelo professor e sua possível tendência ao racionalismo. Pode levar ao exclusivismo se as necessidades das pessoas especiais forem ignoradas no compartilhar exposição a campos mais amplos de conhecimento que talvez não estejam relacionados à experiência pessoal ou do grupo.

Continua no próximo post…

Como fazer tudo? – 5 conselhos

tired

Eu simplesmente não me canso de buscar por dicas de como uma pessoa faz para conseguir lidar com a casa, o cônjuge, as crianças, ela própria e ainda por cima, o homeschooling. Sempre que posso peço conselhos para amigas minhas que já estão nessa situação, procuro em blogs de educação domiciliar, grupos… já vou me preparando para quando meu dia chegar.

Ninguém pode fazer tudo; nem ninguém tem super poderes para esticar o dia em mais 16h para dar conta de fazer tudo. Portanto, nosso maior desafio é administrar corretamente o nosso tempo, nossa agenda e nossas atividades.

Sendo assim, a primeira reflexão que quero trazer para vocês é: você REALMENTE precisa fazer tudo que você faz?! Pense em tudo que você tem para fazer em uma semana… academia, compras no shopping, salão, horas no celular, unha fora de casa, limpar cada milímetro da casa 2 vezes ao dia, guardar 47 pares de sapatos para cada membro da família, passar todas as roupas de cama e roupas íntimas……… será que realmente você precisa se matar para que não haja um ‘pózinho’ pequenininho no cantinho atrás do sofá da sala? Ou será que todas as suas roupas íntimas precisam ser passadas? Será que você consegue dar conta de organizar e manter limpos 47 pares de sapatos – lembre: quanto mais coisas você tem, mais trabalho terá, consequentemente. Será que é extremamente necessário ir ao salão toda sexta feira fazer a unha, tendo em vista o tempo que se gasta entre se arrumar, sair, fazer a unha e voltar? (Não tem nenhum problema nisso, de forma alguma, minha reflexão é a real necessidade desse hábito).

Pense no tempo que você gasta fazendo essas coisas, ou se preparando para fazê-las. Se elas não forem extreeeemamente necessárias, talvez você devesse rever suas atividades e eliminar algumas delas da sua agenda. 😉

Outra coisa que sempre me dizem (e tenho aprendido aqui em casa também!) é: “tenha servas”, como disse a querida Pâmella Arumaa, do blog Sinta-se em nossa casa. ‘Mas que servas são essas, Isabela? Eu não tenho dinheiro para pagar um faxineira ou diarista!’. Então, como a Pâmella disse em seu texto, as servas são os aparelhos eletrônicos que facilitam nossa vida – em muuuito! Você já pensou em ter uma máquina de lavar louças na sua casa? Eu, particularmente, não tenho (ainda), mas estive na casa de uma amiga e vi como ajuda bastante, principalmente se você tem visita em casa, porque ao invés de estarmos lavando louça o dia todo, a máquina fazia isso pela gente e podíamos aproveitar mais o dia fazendo outras atividades.

Já pensou em ter uma panela elétrica de arroz ou feijão? Por mais que não seja difícil fazer nenhuma dessas comidas, o benefício de uma panela elétrica é que você põe tudo lá dentro e espera que a máquina faça tudo sozinha, ficando livre para fazer outras coisas dentro de casa. Tudo sem se preocupar se o feijão queimou ou a água do arroz secou. 😉

Falando em comida, uma outra ajudinha na sua rotina pode ser congelar comida. Se você pode (ou consegue), separe um dia para fazer algum prato em maior quantidade, seja uma carne, ou um acompanhamento. Coloque em saquinhos de congelamento ou refratários que você costume usar e ponha no congelador. Caso você tenha um freezer (olha aí outra serva pra sua família!!), melhor ainda, pois haverá mais espaço ainda para congelar comida.

Por que congelar comida? Sabe aquele dia que TUDO parece dar errado? Sabe o dia que o filho tá passando mal – ou você – e fica quase impossível por o pé na cozinha? Sabe aquele dia que você decidiu passear com os seus filhos, ou esticar a aula ou a leitura um pouco mais? Então, é pra esses dias! Só tirar do congelador/freezer e rapidinho o almoço tá pronto!

Outro conselho que tenho aprendido por observação: DELEGUE funções e tarefas! Mães e pais precisam entender que eles não são empregados dos filhos, que precisam ser servidos como reis. Filhos entraram numa família já existente, com regras, atividades e costumes. A vida não pode girar em torno das crianças, porque o mundo não gira em torno deles (não gira em torno de nenhum de nós, obviamente)!

Então, desde cedo, delegue tarefas a seus filhos. Crianças podem arrumar suas camas, organizar seus brinquedos depois de brincar, lavar uma louça, limpar um banheiro, tirar algum papel do chão, organizar o seu próprio quarto…. e não se engane: seu filho pequeno JÁ PODE te ajudar, sim! Não estou falando de abusar e escravizar seus filhos. O ponto é: há grandes benefícios em um filho participar das responsabilidades da casa junto com os pais, tanto para ele próprio, quanto para você, pai/mãe. Não se sinta obrigada a fazer TUDO sozinha, seus filhos moram ali e precisam aprender a ajudar também! 😉

Veja aqui um exemplo simples disso. Lembrando que cada casa é uma casa, e crianças mais novas podem fazer algumas atividades sugeridas para as mais velhas, e vice versa 🙂

E o último conselho: conheça seus limites. Pode ser que em determinada época, você esteja a todo vapor, fazendo tudo em casa e no homeschool. Mas pode haver épocas em que você esteja a ponto de surtar por não conseguir fazer nem metade do que você planejou. Portanto, não planeje algo impossível de você fazer, muito além da sua capacidade. Temos somente 24h no dia, sendo que umas 6 delas estamos dormindo – ou tentando rs.

Não tente agarrar o mundo, nem queira ser a super mulher maravilha da limpeza e organização. Sua casa tem vida, sua família tem anseios, você também precisa se poupar um pouquinho de vez em quando. Não se culpe quando você escolher a melhor parte: estar com sua família, ao invés de estar loucamente limpando tudo em volta.

Homeschooling não é uma vida de Pinterest ou Instagram, onde tudo é per-fei-ta-men-te bem produzido e colorido Família não é nada disso. Família é experiência conjunta, é vida, é compartilhar as tristezas, alegrias, benefícios e responsabilidades também! 😉

Para mais dicas: 

Como fazer tudo?? – Família, desenho de Deus.

https://www.facebook.com/familiadesenhodedeus/videos/1788781758069292/

O segredo da mulher virtuosa – Sinta-se em nossa casa, João Paulo e Pâmela Arumaa.

https://sintaseemnossacasa.wordpress.com/2016/06/07/o-segredo-da-mulher-virtuosa/

5 ways to manage home and school – Simple Homeschool (em inglês)

http://simplehomeschool.net/manage/